1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

Faculdades e Escolas

CAICC distinguido na categoria de Ouro pela Global Innovation Week

caicc-jakartaO Centro de Apoio à Informação e Comunicação Comunitária da UEM (CAICC) foi distinguindo semana passada (quinta-feira 16 de Abril), na categoria de Ouro num concurso da Global Innovation Competition (GIC) - 2015, promovido pelo projecto Making All Voices Count.
CAICC é um projecto baseado no Centro de Informática da Universidade Eduardo Mondlane, que desde 2006 trabalha no apoio às rádios comunitárias, centros multimédias comunitários e telecentros na área de conteúdos e uso das tecnologias de informação e comunicação.
Para esta distinção, o CAICC submeteu um projecto denominado "Face To Face", que consistia em oferecer treinamento à voluntários das rádios comunitárias, produzindo pequenos vídeos sobre as necessidades e desafios reais das comunidades rurais e dos respectivos governos no que diz respeito ao direito à informação, ou seja, os desafios práticos da implementação da Lei de Direito à Informação, recentemente aprovada.
O concurso da GIC visava, essencialmente, materializar os objectivos do Making All Voices Count que se resumem numa maior participação do cidadão na governação local, através de ideias inovadoras.
O referido concurso decorreu de Outubro a Novembro de 2014, e concorreram um total de 241 ideias a nível global.
O concurso da GIC obedeceu a três fases, nomeadamente primeira que consistiu no apuramento das 50 melhores ideias inovadoras das 241 concorrentes. A segunda fase foram apuradas 30 ideias, e destas, apenas 10 participaram da terceira fase, na grande final que teve lugar de 13 a 17 de Abril, em Jakarta, Indonésia.
Entretanto, o concurso dispunha de um valor monetário estimado em 300 mil Euros, destinado a apoiar financeiramente as ideias consideradas inovadoras e que se apresentassem mais realistas com impacto na vida dos cidadãos, através da garantia de participação destes e de maior abertura e transparência dos governos locais.
Na noite de consagração, os 10 finalistas, incluindo o CAICC, fizeram as respectivas apresentações dos projectos para um júri composto por diversos especialistas. Feita a deliberação, o jurado decidiu atribuir a categoria de Ouro ao CAICC por ser considerado melhor ideia inovadora dentre as concorrentes. Com esta distinção, o CAICC beneficia de um encaixe financeiro estimado em 37 mil libras (pouco mais de 2 milhões de meticais), valor a ser aplicado na fase piloto à seis radios comunitárias das regiões Centro e Norte do país.
A ideia é treinar voluntários das rádios em técnicas de storytelling, bem como na produção de videos de curta metragem que retratam vivências das comunidades locais, suas necessidades e desafios no tocante ao direito à informação, por forma a se assegurar uma governação mais transparente, que responda as necessidades dos cidadãos.

UEM atribui título de Doutor Honoris Causa ao Presidente da República

A Universidade Eduardo Mondlane vai atribuir no dia 18 de Dezembro o título de Doutor Honoris Causa a Sua Excelência Armando Emílio Guebuza, Presidente da República, na Especialidade da Economia do Desenvolvimento, em reconhecimento pelos seus feitos no âmbito da sua acção como cidadão e dirigente máximo da Nação moçambicana em prol do desenvolvimento económico do país; pelo seu empenho pessoal no processo de emancipação económica dos moçambicanos, promovendo a criação de trabalho e de emprego para os moçambicanos. Pesam ainda para a atribuição do título a Sua Excelência, o papel por si desempenhado na liderança de promoção da auto-estima, o desenvolvimento de infra-estruturas e de instituições de desenvolvimento.
O evento terá lugar no Centro Cultural Universitário, sito na Av. Agostinho Neto, nº. 946, Maputo, pelas 14:00 horas.

Inaugurado novo portal da UEM

Uem apresenta novo portal

Celebrar o legado de Eduardo Mondlane é revisitar o legado de um homem de magnitude inigualável, afirma o Reitor da UEM

ofertaCelebrar o legado de Eduardo Mondlane é revisitar o legado de um homem de dimensão e de uma magnitude inigualável, afirmou o Reitor da UEM , o Prof. Doutor Orlando Quilambo, para quem Eduardo Mondlane era uma das figuras de intelecto mais elevado que a história mais recente de Moçambique e de África conheceu.
O Reitor da UEM, que falava na cerimónia de lançamento dos novos Símbolos e de Homenagem ao Dr. Eduardo Mondlane, hoje, 31 de Janeiro, acrescentou que o arquitecto da unidade nacional percebeu muito cedo que a educação era por excelência o meio de libertação dos povos africanos e que o futuro desse povo dependia da educação que se lhes pudesse oferecer.
Assim, para Quilambo, assumir a herança de Mondlane é reflectir sobre o valor, utilidade e o tipo de escola para Moçambique. É redimensionar o lugar da ciência e da cultura na
sociedade, nas suas dimensões individual, geral-especifica. Refere que o desafio de Eduardo Mondlane não se limitava em libertar o país de Portugal, como potência formal, mas também da sua subordinação em relação a África do Sul, como potência económica.
O Reitor explicou que Eduardo Mondlane desenvolveu uma capacidade de análise social e atropológica, não apenas para compreender a realidade, mas a razão da existência das coisas e fazer face às explicações dominantes que mais contribuíram para o reforço do status quo existente. Recorda que nas Nações Unidas, a sua participação no referendo de Camarões, em 1961, e o aprofundamento da realidade e do conhecimento permitiu a Eduardo Mondlane compreender as transformações nas sociedades africanas e com isso elaborar um tratado para a conquista do poder através da reflexão política.
A homenagem a Eduardo Mondlane conscidiu com o lançamento dos símbolos da UEM. A esse respeito o Reitor da UEM sublinhou que os símbolos ora lançados consolidam a identidade. "Através destes símbolos, descobrimo-nos a nós próprios através das afinidades que nos são intrinsecamente familiares", apontou o Reitor.
Os novos Símbolos são nomeadamente o novo Traje Doutoral e novo Emblema da UEM.
O director do Registo Académico, o Prof. Doutor José Leopoldo Nhampossa, justificou a mudança da Toga com a necessidade de ajustamento face à dinâmica institucional, nacional, regional e internacional, caratecterizada por uma forte exigência por um serviço académico actual, de referência e de qualidade desejada.
O novo traje doutoral é composto por um chapéu (barrete), toga preta, faixa verde, chevrons verdes e bordas douradas. A nova Toga foi inspirada na do patrono da UEM, Eduardo Chivambo Mondlane. O traje é fruto de um processo que iniciou em 2012 com a realização de visistas de consulta às instituições de ensino superior dentro e fora do país.
O Emblema enfatiza elementos simbólicos escolhidos, tais como logotipo em uso na instituição, o lema estabelecido pela UEM, o busto de Eduardo Mondlane, um desenho popular africano, o nome e o ano da fundação da UEM.
O Magnífico entregou alguns dos materiais produzidos e símbolos à família de Mondlane, patrono da UEM, em reconhecimento ao importante papel de vanguarda de Eduardo Chivambo Mondlane, na criação e consolidação da identidade moçambicana.
Do material oferecido consta um Catálogo de Exposição sobre vida e obra de Eduardo Mondlane e do Guião do Museu Aberto de Mwadjahane.
Falando em nome da família, Nyeleti Mondlane, uma das filhas do arquitecto da unidade nacional, recordou que o sonho de Eduardo Mondlane era de terminar a tarefa de líder politico e um dia, no futuro, dedicar-se, de forma exclusiva à vida académica. “Infelizmente, os seus detractores interromperam o sonho”, lamentou.
"Consola-nos imensamente perceber que diferentes pessoas e instituições do Mundo abraçaram intensamente outro sonho de Eduardo Mondlane, o da liberdade para Moçambique e, em 1975, ergueram bem alto a memória dele, mostrando ao mundo inteiro que a sua morte não foi em vão", disse.
Segundo Nyeleti, o mais importante para a família nuclear e biológica de Mondlane, foi o testemunho efectivo, da consolidação material, pelo povo moçambicano, do desejo particular de ser académico. Indica que hoje, foram criadas escolas e instituições de ensino primário, secundário, médio e universitário em todo o país, com a missão e intenção de nutrir a mente dos moçambicanos.

Sublinha que o sonho de Eduardo Mondlane ficou concretizado com a graduação sucessiva de moçambicanos e académicos que representam o espelho e exemplo evidente de uma teresacrtrajectória árdua e dificil de satisfazer a sede pelo conhecimento e da conquita do saber.
"Hoje, estes símbolos que acabamos de receber, com carinho e alegria, nos fazem recordar o resultado do suor e sacrifício de mulheres e homens, académicos moçambicanos que realizaram estudos diferentes e que gozam de mérito", refere.
Nyeleti lembrou que foi graças a UEM e seus parceiros, que a Imprensa Universitária foi o ponto de partida da colectânea "O Eco da Tua Voz, Cartas seleccionadas e Editadas de Eduardo Chivambo Mondlane e Janet Rae Mondlane" que, em memória dos 45 anos do fatídico 3 de Fevereiro, estará disponível no dia 20 de Junho deste ano, data de nascimento de Eduardo Mondlane.
A UEM aproveitou o momento para proceder ao lançamento oficial do novo Portal da UEM, sendo que o primeiro clique foi dado pela mão do Magnífico Reitor. Segundo os Professores Manuel Macia e Manuel Mangue, que procederam a apresentação do portal, a obra resulta de uma indicação, em Agosto de 2012, pelo Reitor da UEM, da necessidade de revitalizar o Portal de forma a torna-lo mais atraente.
O novo portal contém infomações especificas de cada um dos cursos, notícias e outras informações relevantes sobre a vida da mais antiga instituição de ensino superior no país.

Reunião anual da UEM

Realizou em Junho passado, no âmbito da celebração da “Semana Eduardo Mondlane”, a reunião anual da UEM com objectivo de apresentar à comunidade universitária e demais convidados as realizações da UEM de 2012, o estágio actual de desenvolvimento da UEM; e discutir os desafios e perspectivas da instituição e do Ensino Superior, no geral.
Algumas das expectativas por de trás desse encontro incluíam a criação de uma plataforma de diálogo permanente com a comunidade universitária; e avaliar o desempenho global da UEM e o seu rendimento nos domínios da docência, investigação e da extensão, desenvolvidos pelo conjunto dos seus sectores, serviços, unidades e órgãos. Igualmente esperava-se que se realiza-se uma reflexão conjunta sobre a missão, visão estratégica e os desafios que se colocam à instituição conforme preconizado no seu Plano Estratégico 2010-2014.

 php shell indir