1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

Conferência Internacional de Filosofia discute Democracia deliberativa

cfilososfia-210Académicos da área de filosofia do país e do mundo estão reunidos hoje (25/05), em Maputo, na Primeira Conferência Internacional de Filosofia organizada pela Faculdade de Filosofia da Universidade Eduardo Mondlane, para debater sobre aspectos ligados a Democracia, concretamente a Democracia deliberativa.
O evento, que decorre num dia em que o mundo celebra o Dia de África, decorre sob lema "Teoria Crítica e Democracia Deliberativa". Na abertura, o Director da Faculdade de Filosofia, Prof. Doutor José Blaunde, explicou que a crítica democrática e a liberdade de pensamento criativo fazem parte dos valores que integram os objectivos da criação da unidade que dirige.
Referiu-se ao evento como uma oportunidade para que os estudantes e docentes de Filosofia discutam a questão da democracia tendo em conta a sua relevância para a construção dos Estados e sociedade.
Sobre o lema Teoria Critica e Democracia Deliberativa, Blaunde definiu a crítica como análise de conceitos e contextos sociais e democracia como entendida com a possibilidade de tomada de posição e decisão pessoais enquadrados num contexto social concreto.
No evento, o Professor Catedrático Alessandro Ferrara, da Universidade de Estudos de Roma “Tor Vergata”, disse que a Covid-19 restaurou a força do Estado em relação ao mercado, pois, nenhuma opinião pública em qualquer dos 195 países do mundo e nenhum governo de qualquer país defende confiar a distribuição das vacinas ao mercado. Para ele, a pandemia mostrou que a competência científica não pode ser fabricada, falsificada ou substituída por políticas populistas amadoras. “A magia neoliberal desapareceu repentinamente”, frisou.
Acrescentou que a experiência, compartilhada mundialmente, de ser brutalmente confrontado com a extrema fragilidade de nossa existência deu golpes duros, potencialmente fatais, tanto na retórica neoliberal do mercado quanto na narrativa populista.
Falando sobre o tema “Soberania sequencial e em série: democracia deliberativa contra o populismo”, defendeu que conceber a soberania popular abre caminho para três consequências, nomeadamente a criação da república volúvel, república indistinta e república subdeterminada.
Durante o dia, a conferência vai se debruçar em torno de temas como Teoria crítica da democracia, Práticas da Democracia, Democracia deliberativa, Democracia constitucional e Democracia no contexto africano – moçambicano.

cfilososfia-211