Estudante da ESCMC avalia grau de salinidade dos campos de cultivo de Namacata

  • Imprimir

Estudante da ESCMQEstudante da Escola Superior de Ciências Marinhas e Costeiras da Universidade Eduardo Mondlane, localizada em Quelimane, está a desenvolver um estudo para identificar o teor de salinização dos campos de cultivo de Namacata, Província da Zambézia. O estudo, intitulado "Avaliação da intrusão salina dos campos de cultivo de Namacata", surge em reposta a crescente preocupação da comunidade daquela região, que de forma recorrente têm vindo a reportar às autoridades locais e não só suspeitas de elevado teor de sal nas suas machambas.
Os camponeses suspeitam que a baixa produtividade que se regista é influenciada pelo elevado teor de sal existente naqueles campos.
Segundo a autora do estudo, Dionora Luís Macamo, já foi realizado com sucesso o trabalho de campo que consistiu na recolha de solos e posterior colocação das etiquetas de acordo com cada local, incluindo alguns trabalhos de laboratório como a pesagem e a decantação. Garante que do trabalho feito já permitiu obter resultados da condutividade elétrica, condutividade específica, a salinidade de solos dissolvidos e a temperatura.
Actualmente decorrem trabalhos de análise para identificar os campos de cultivo com um teor de salinidade elevado, seguindo-se depois uma análise de comparação dos resultados obtidos com o teor de salinidade padrão, para aferir se realmente os campos de cultivo dos camponeses têm teor de sal elevado, tal como suspeitam os camponeses de Namacata.
O estudo será finalizado brevemente e vai contribuir para o sector agrário da Província da Zambézia e do país, em geral. O estudo faz parte do trabalho de monografia para obtenção do grau de licenciatura no curso de Química Marinha.