1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

Lançado projecto CHILI para diagnóstico de cancro do colo do útero

CHILI

A Faculdade de Medicina da UEM procedeu na terça-feira (19/07) ao lançamento do projecto CHILI, iniciativa que visa avaliar a viabilidade e acessibilidade do uso do ELEVATE para o diagnóstico do cancro do útero no País.
Trata-se de um dispositivo usado em países como Bélgica, Equador, Brasil e Portugal para a testagem do cancro colo do útero em mulheres de baixa renda, que o projecto pretende implementar em Moçambique.
Diferentemente dos demais instrumentos de testagem, o ELEVATE detecta biomarcadores sugestivos do cancro do colo do útero. Tem igualmente a vantagem de permitir a auto-colheita, isto é, a mulher pode colher a amostra sozinha e levar para a unidade sanitária e rapidamente terá resultados que são automatizados.
“O CHILI procura compreender as práticas actuais de rastreio de cancro do colo do útero e definir novas estratégias para atender as condições do nosso contexto, de modo a maximizar a cobertura do rastreio”, explicou a investigadora principal do projecto, Prof. Doutora Khátia Munguambe.
O projecto, financiado pela União Europeia e com cinco anos de implementação, prevê várias etapas de materialização, tais como, a fase em que os pesquisadores irão fazer o levantamento das atitudes e práticas das mulheres em estudo, nos hospitais geral José Macamo e Provincial da Matola, para a avaliação das suas preferências em termos de testagens.
Está prevista também a fase em que os pesquisadores irão desenvolver o modelo ideal para que o uso deste aparelho seja acessível.
A co-investigadora principal do projecto, Prof. Doutora Esperança Sevene, referiu que foi criado um comité para orientar os pesquisadores durante a materialização da iniciativa, de forma que se enquadre no contexto moçambicano.
O comité de implementação do projecto é composto por profissionais da área de saúde materna e infantil, especialistas em Anatomia Patológica, membros de associações e organizações da sociedade civil que lutam contra o cancro, entre outros especialistas que irão assessorar os investigadores.
O lançamento da iniciativa foi feito pela Directora-adjunta para Investigação e Extensão da Faculdade de Medicina, Prof. Doutora Tufária Mussá e moderado pela Dra. Aureliana Chambal Chilengue, coordenadora do estudo.