1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

Ministro recomenda plano de manutenção de laboratórios de Engenharia na UEM


MCTESP-XSmallO Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Prof. Doutor Daniel Nivagara, recomendou aos técnicos da Faculdade de Engenharia da UEM que elaborassem um plano de manutenção de equipamentos de laboratórios, com vista a minimizar avarias do material essencial na formação dos estudantes.
A sugestão foi expressa esta segunda-feira (18/07) na visita que o dirigente efectuou àquela unidade orgânica, visando encorajar técnicos, docentes e investigadores a continuarem a envidar esforços para salvaguardar a boa imagem da instituição.
“Esta faculdade foi e sempre será referência na formação de engenheiros em Moçambique. Por conta disso, devem empreender esforços tanto no campo de ensino como na investigação e extensão universitária”, alertou.
O ministro explicou que a sua comitiva ficou satisfeita ao constatar no terreno que a universidade funciona mesmo com a insuficiência de equipamentos em alguns laboratórios, reconhecendo a necessidade de maior investimento para o apetrechamento da faculdade.
“Temos equipamentos obsoletos e antigos, dos quais alguns ainda funcionam e outros parados por falta de peças complementares”, revelou o governante, exortando a elaboração de um plano de manutenção que detalha as peças em falta, custos, locais para aquisição e a empresa para a montagem.
Reiterou que cerca de 90 por cento de engenheiros afectos nas grandes empresas que operam no País foi formado na UEM, daí a necessidade de maior responsabilidade na formação, investigação e extensão.
“Alguns laboratórios podem prestar serviços e produzirem receitas que, com boa gestão, podem servir para manutenção e aquisição dos equipamentos dos laboratórios”, acrescentou.
Por sua vez, o Secretário de Estado do Ensino Técnico-Profissional, Dr. Agostinho Francisco Langa Júnior, que fazia parte da comitiva do ministro, disse que a visita visava igualmente perceber em que condições são formados os engenheiros que asseguram o ensino técnico-profissional no País.
“A ideia é que trabalhemos em conjunto. O que não existe nos nossos institutos pode existir na Faculdade de Engenharia, vice-versa, e assim podemos alcançar o nosso objectivo que é de formar técnicos e engenheiros com qualidade para responder as exigências do mercado”, sugeriu.
Durante a visita, Daniel Nivagara conversou com técnicos que explicaram como funcionam os laboratórios da Faculdade de Engenharia da Universidade Eduardo Mondlane.

MCTES-Secretario