1. Skip to Menu
  2. Skip to Content
  3. Skip to Footer

UEM e o Município de Maputo lançam projecto Kaya Clínica

Kaya-Clinica1

A UEM e o Conselho Municipal da Cidade de Maputo lançaram hoje (11 de Novembro), no bairro George Dimitrov, vulgo Benfica, o projecto Kaya Clínica, com o apoio financeiro da Cooperação Espanhola em Moçambique.
Trata-se de uma iniciativa piloto que tem em vista ajudar a comunidade local na melhoria da gestão de espaços urbanos, melhorando a condição de habitação dos mais pobres, com recurso a técnicas e mecanismos acessíveis.
O projecto Kaya Clínica é um consultório que pretende trazer assistência técnica e o conhecimento da Universidade Eduardo Mondlane às comunidades.
No país, mais de 98 por cento do parque habitacional é suportado por mecanismos de auto construção e, só em Maputo, estima-se em cerca de 200 mil casas melhoradas ou construídas, nos últimos 35 anos, sem obedecer a qualquer normativa urbanística e administrativa.
Assim, este projecto é visto como uma oportunidade de resposta aos anseios da melhoria das condições de vida das populações e de desenvolvimento da economia urbana.
De acordo com o Reitor da UEM, Prof. Doutor Orlando Quilambo, Kaya Clínica é um projecto de base comunitária que pretende aprender com a realidade, perceber os problemas da comunidade com a própria comunidade, e partindo do seu conhecimento desenvolver mecanismos técnicos de resolução desses problemas.
Entre outras acções, a Kaya Clínica irá ajudar a comunidade local de George Dimitrov a resolver problemas ligados a segurança da posse de terra, vai disponibilizar conhecimento para ajudar na re-funcionalização das casas e sugerir medidas para torná-las mais confortáveis, recorrendo a soluções acessíveis capazes de serem suportadas nas actuais condições económicas dos moradores.
Segundo Quilambo, os bairros da cidade de Maputo e não só, confrontam-se com problemas de saneamento do meio, que estão na origem de problemas de saúde pública. As casas onde as pessoas vivem caracterizam-se por uma baixa qualidade, facto que não só está associado a baixa qualidade dos materiais usados, mas também ao seu baixo nível construtivo, baixa qualidade funcional, os espaços que se criam não têm qualidade aceitável para habitação.
"Esta iniciativa constitui uma resposta da UEM aos desafios do país rumo a um desenvolvimento sustentável. Desenvolvimento sustentável que entendemos nós, que deve assentar nos direitos humanos, que se consubstanciam, neste caso, no acesso a habitação condigna", disse.
Entretanto, para o Presidente do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, David Simango, trata-se de um projecto inovador envolvendo duas grandes instituições, nomeadamente a UEM, através da sua Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico e o Município de Maputo.
Simango realçou a colaboração dos técnicos da Faculdade de Arquitectura da UEM para a materialização conjunta de alguns projectos que visam melhorar o aspecto urbanístico da cidade de Maputo.
Referiu-se, a título de exemplo, da construção da Escola Primária do bairro George Dimitrov, recentemente inaugurada, que contou com a colaboração técnica dos quadros daquela Faculdade e de outras iniciativas que estão em carteira.
Kaya Clínica contará com um pessoal permanente, constituído por consultores e voluntários (estudantes) que garantirão o seu funcionamento, contando com o suporte da Faculdade.
O Coordenador da Clínica, o Arq. Luís Lage, explicou que ela resulta da aprovação, a 15 de Dezembro de 2015, em Sessão Ordinária do Conselho Universitário, como um projecto de extensão universitária.
Lage referiu que este projecto vai incidir tecnicamente sobre os processos de legalização das habitações, estabelecendo a ponte entre os moradores e o município, na produção dos materiais de construção, na estandardização dos processos e dos elementos construtivos, vai apoiar nos sistemas urbanos da comunidade e nos serviços urbanos no que tange as infraestruturas, entre outras.
O projecto Kaya Clínica enquadra-se no âmbito de um memorando assinado, em 2008, entre o Conselho Municipal da Cidade de Maputo e a Universidade Eduardo Mondlane cuja adenda foi assinada em Agosto deste ano.